Lançamento vai facilitar a vida do motorista autônomo na estrada
             
Amundsen Limeira
de São Paulo
Um novo cartão eletrônico promete revolucionar o mercado de fretes no País. A partir de 1ª de dezembro próximo, a Pamcary começará a distribuir entre os caminhoneiros, certificados pela empresa, sem custo adicional, 150 mil cartões que agregam as funções de cartão de crédito, cartão vale-pedágio, cartão de saque e cartão de identificação Pamcard, que hoje já pré-qualifica o motorista no sistema Telerisco. O projeto é resultado de uma parceria alinhavada entre o grupo Pamcary Sistemas de Seguros e
 
de Gerenciamento de Riscos e Transportes Multimodais de Carga, o Banco Simples, que integra o Grupo Financeiro Rural, a Fast Solutions e a Visa do Brasil. Nele foram investidos cerca de R$ 4 milhões.
Ricardo Miranda, vice-presidente da Pamcary, calcula que o novo "cartão multifuncional" deverá movimentar cerca de R$ 7 bilhões por ano, entre frete e pedágio. Além disso, ele acredita que, para o embarcador / transportador, esse novo meio de pagamento representará uma economia operacional de 20% sobre o valor atual do frete.
 
"Este é o maior projeto de cartão empresarial no País", define Fernando Castejon, vice-presidente da Visa do Brasil.
O sistema vai operar on-line, permitindo que o valor do frete pago pela transportadora ou empresa embarcadora da carga seja creditado ao caminhoneiro diretamente nesse cartão. Com isso, o motorista autônomo poderá sacar em toda a rede Banco 24 Horas em qualquer lugar do Brasil, inclusive no exterior, por meio da Rede Plus. Ele permitirá realizar despesas nos estabelecimentos comerciais credenciados pela bandeira Visa.
Outra vantagem do cartão polivalente é a redução do
 

custo operacional e o ganho financeiro obtido, uma vez que o motorista autônomo terá margem de negociação na hora da compra, que passa a ser à vista. "O caminhoneiro não precisa ser nosso correntista para tornar-se usuário do produto", avisa Ricardo Toledo, diretor do Banco Simples. A Pamcary estima que existam algo em torno de 500 mil caminhoneiros autônomos em atividade no Brasil.

             
Cartão só para...
   
Os Caminhoneiros profissionais chegam a "faturar" no mínimo R$ 3,5 mil e no máximo R$ 12 mil mensais, em média.
O modelo utilizado atualmente para adiantar despesas de viagens ao caminhoneiro autônomo funciona há 50 anos no Brasil. Não tinha sido substituído até agora, na opinião de Nelson Cohen, da Fast Solutions, por falta de tecnologia adequada, que permitisse a criações de soluções modernas e vantajosas para todas as partes envolvidas.

Na base da carta-frete

Pelo modelo em uso hoje em dia, os caminhoneiros utilizam carta-frete, documento expedido pelo embarcador/transportador autorizando-o a trocá-lo por diesel e dinheiro em espécie nos postos de combustível conveniados.
 
O sistema em vigor, além de representar para o caminhoneiro custos bancários adicionais na emissão de cheques, obriga o profissional a utilizar uma rede conveniada estabelecida pelo seu contratante. Isso reduz sua possibilidade de negociar melhores preços com esses estabelecimentos. Ao mesmo tempo, manter caixas descentralizados nas filiais expedidoras de carga.

Ferramenta única
"A vantagem do novo cartão da Pamcary é que permitirá gerenciar todo o processo com uma única ferramenta", diz Maria Cecília de Cristófaro, diretora da Costeira Transporte e Serviços Ltda., de São Paulo.
Para Ernani Baltazar, chefe da divisão de Atendimento ao Cliente da Caraiba Metais, em Salvador, o lançamento do novo cartão eletrônico representará "um novo salto de qualidade ao sistema de transporte de cargas no Brasil".